sábado, 1 de janeiro de 2011

HOMILIA


Diante do Altar, eu me ajoelho.
E, de meus erros, me recordo diante de Ti.
Erros que ferem a Ti;
erros que ferem muito mais a mim (?)

Erros não são acertos.
São tentativas de consertos mal urdidos.

Erros são diferentes de faltas, de pecados.
São talvez bem piores,
pois ferem seu próprio agente.

Peço perdão pelos erros, não pelos pecados.
Os pecados, cabe apenas a Ti julgar seus conceitos;
não a mim.
Peço deles o conserto,
Do qual não pude nem tentar ousar.

Em homilia, reconheço Tua Grandeza
e peço o não erro que difere do mero acerto.
Mas peço também sua Bênção,
Por não ter tido o erro do medo,
De errar
Quando cri acertar.

2 comentários:

Miriam D C de Oliveira disse...

Bonito, amiga!

Felipe disse...

Fiquei a pensar ...

Se errar é pecar ... porque não pedir perdão pelos dois ...

Penso ainda mais ... se nos foi dado o livre arbítrio ... ou como gosto de falar todos temos nossas escolhas ... porque pedir perdão ou redenção ...

Mais importante que o perdão ... é sensação de pelo menos saber que tentou .. como disse bem "PEÇO O NÃO ERRO QUE DIFERE DO MERO ACERTO. MAS PEÇO TAMBÉM SUA BENÇÃO POR NÃO TER DITO O ERRO DO MEDO, DE ERRAR" ...

O legal da vida é os altos e baixos ... e saber que estamos sempre postos a enfrentar ... parafraseando Nietzsche (filósofo do qual gosto e leio muito) ... "Nodoso e retorcido, com flexível dureza, deve cada qual erguer-se ao pé do mar, como próprio farol da vida invencível.
No mesmo sítio onde se precipitam no mar as tempestades, onde a fralda da montanha se banha nas ondas, nesse sítio deverá cada qual
estar de sentinela dia e noite, para sua prova e reconhecimento." ...

Posso estar aqui escrevendo um monte de besteiras ... mas acredito realmente que não erramos ou pecamos ... somos apenas meros atores escolhendo onde, como e porque atuar ... responsáveis por nossos atos, ou seja, erros / pecados e acertos.

Cada sujeito sabe a dor e a alegria de ser o que é ....

Bejocasss