sábado, 18 de agosto de 2012

PENSAR

Eu penso.

 

Penso e paro.

Paro e penso.

 

Ao pensar,

eu me comparo.

Me comparo

e me amparo.

Ou me resvalo?

 

Penso e fico.

Penso e ajo?

Penso e vou!

 

Penso e repenso,

e me compenso

do que eu simplesmente não fiz,

do que não restou.

 

Parar e pensar.

Parar para pensar.

Parar por não querer pensar.

Por não querer se arriscar.

Nem por nada,

nem por niguém.

Nem mesmo por um incerto alguém.

 

Nem mesmo que seja

 para parar de pensar,

e na corda-bamba viver

e sobre o fino fio correr

para não pensar a vida,

para simplesmente caminhar sobre a vida

que muitos dizem ser corrida,

outros cinza,

outros colorida,

outros...

outros...

outros... 

Cada um diz o que quer, não é mesmo?

 

Pensar e arriscar.

Arriscar mesmo que seja por um triz

não importa sua cor e o seu matiz.