quinta-feira, 31 de maio de 2012

PESSOAS

Pessoas.
Pessoas,
apenas pessoas.

Todas iguais
em suas diferenças.

Diferenças totais
que ocorrem
em todos os locais.

Pessoa...
Fernando...
Fernando Pessoa.
Poeta.
Pessoa, "personae".
Um autêntico personagem.

Personagem...
pode ser excêntrica pessoa.
Pode também não ser.
Pode ser uma mera e bela imagem.

Pessoa poderia ser uma figura.
Figura também viria a ser alguém excêntrico,
especial.
Figura, não simples gravura.
Raras iluminuras.

Pessoas, figuras, gravuras;
são todas leituras
do que somos.
Somos uns mais iguais,
outros menos desiguais.
Contudo, ao fim, todos mortais.


Um comentário:

Paulo Tamburro. disse...

ANANITA,

formigas saídas de formigueiros ou abelhas de suas colmeias, apenas deixam rastro com seu rabiscos.

Aquelas,marcam tortuosas linhas no chão e estas, zigue-zagueando em alvoroço, em torno de seus favos encharcados de mel,marcam território e expulsam invasores.

Pessoas ,com seus escritos, edificam ideologias, formatam as questões de fé,criam filosofias de vida que por elas morrem ou através delas se salvam e se imortalizam.

Transformam escritos de nossas múltplas linguagens em sólidas catedrais góticas que vencem o tempo.

Mas pessoas, também podem só fazer rabiscos, apenas ensaiarem os preâmbulos de trabalhos que poderiam ser mais consistentes.

No seu caso Ananita,você é formiga laboriosa,favo de mel doce das abelhas e também, uma pessoa que edifica, com seus Escritos e rabiscos.

Assim eu lí você!

Abração carioca.