terça-feira, 21 de fevereiro de 2017

A CADA DIA


No início, ele retirava a mesa, lavava a louça, estendia a roupa no varal e lavava suas cuecas.
Ele dizia: quero te conquistar todos os dias, mas todos os dias eram muitos.
E ele sempre se esquecia de arrumar a cama.
Tudo bem; ela, que detestava fazer isso, fazia-o. Cada dia ela arrumava o lençol de um jeito. Era a forma de agradecer seus diferentes orgasmos e múltiplos.
Amava aquele homem assim como ele a ela.
E seguiam nesse ritual fechando seus corpos e almas contra desejosos da felicidade alheia.
Viviam em completa simbiose